Feeds:
Posts
Comentários

PERGUNTE PARA A BRUXA

Deixe a Bruxa aconselhar você nos caminhos do amor e dos relacionamentos.

ARRUMANDO A CASA

Sabe aqueles dias em que você acorda e percebe que sua casa está uma bagunça? Roupas jogadas nos cantos, poeira para todo lado, papéis em desordem, um monte de cacarecos que deviam ser descartados atulhando tudo?

E sabe o desânimo que dá arrumar essas coisas todas? A vontade que dá é cobrir a cabeça com a coberta e simplesmente ignorar. Mas, você sabe que quando abrir os olhos de novo o mesmo espetáculo desagradável a espera.

Que fazer então? Sacudir a preguiça e dar o primeiro passo. Depois que você abre as janelas, recolhe o lixo, e começa a varrer e limpar, coloca uma musica e até se anima… vai acabar arrumando tudo rapidinho, dançando e até curtindo organizar as coisas de forma mais eficiente.

Então… é isso mesmo que precisamos fazer com nossos sentimentos muitas vezes. Precisamos arrumar a casa, descaratar coisas inúteis, abrir espaço para o novo. Limpar nossos cantos esquecidos, jogar fora as mágoas, rever o que realmente é importante manter dentro de nós, e o que precisa ir…

Dá preguiça? Às vezes muito mais do que isso: nos sentimos totalmente impotentes, incapazes e declaramos nossa derrota sem nem mesmo ter tentado. Daí chafurdamos em auto-piedade, tristeza e desesperança. Chorar é bom, mas, como tudo, tem limite.

Essa arrumação de sua casa interior, do seu coração, parecerá muitas vezes quase impossível. Não é. Como toda casa, por maior que seja a bagunça, basta colocar cada coisa em seu devido lugar, jogar fora o velho e abrir espaço ao novo. Arejar, deixar a luz entrar e guardar nas sombras apenas o que realmente vale a pena manter.

Como a limpeza e organização da sua casa física, arrumar seu coração precisa de um primeiro passo. Tenha coragem, enxugue as lágrimas e comece a rever o que tem dentro de você. O que serve ainda? O que já passou do prazo de validade e só está ocupando sua energia e desviando seu caminho de coisas melhores?

Muitas vezes, terapeuticamente, vale juntar as duas coisas: a arrumação física da casa com a do seu  ser interior. Não se sente ainda capaz de grandes mudanças? OK. Então vamos escolher uma gaveta. Só uma. vamos esvaziá-la, jogar fora o que não queremos mais, manter só o que realmente é útil. Se voce determinar que essa gaveta é uma parte da sua vida emocional, então arrumá-la será uma maneira mágica de arrumar uma pequena parte de si.

Uma gaveta hoje, um armário amanhã, um cômodo, toda casa. Vamos com calma, reconstruindo, refazendo, resignificando.

Ninguém precisa viver na bagunça, nem da casa, nem de seus amores. Aja, aqui e agora só você éresponsável pelo estado em que vive.

Mavesper Cy Ceridwen

Hoje vamos falar um pouco sobre o que atraímos para nossas vidas. Se partirmos do princípio de que tudo que passamos fomos nós mesmos que colocamos em nossas vidas, vamos analisar o que nos expõe nossa amiga J., que escreveu:

” Oi Mavesper, bem tenho 20 anos e nunca tive um relacionamento sério, saio, me divirto com as amigas, acontecem paqueras, mas nunca algo que passasse de uma noite, chego a pensar que o meu destino mesmo é ficar sozinha, que não fui feita para sentir algo que me fizesse ter um brilho a mais, enfim amar, e claro ser amada. “

A primeira coisa que salta à vista J., é que enquanto você se acreditar sem atrativos e destinada a ficar sozinha, assim será. Isso é como um decreto que você mesma tem feito para sua vida. No xamanismo havaiano, chamado Kahuna, os xamãs acreditam que o Universo é regido por alguns princípios. O primeiro deles é IKE, que significa: o mundo é o que você acredita que ele seja. No seu mundo, você cre que ficará sozinha, e enquanto você acreditar nisso, assim será. Esse tipo de crença e de postura é  o que nós bruxas costumamos chamar de “auto-maldição”. A gente não precisa de ninguém amaldiçoando a gente, fazemos isso melhor do que qualquer outra pessoa! Isso vale para tudo aquilo que temos e pensamos sobre nós, especialmente aparência. Você já reparou quantas mulheres feias são muito paqueradas e está cheio de gente atrás delas? Por que será? Porque elas se fazem desejáveis, compensam a falta de beleza física com outros tipos de atrativos, do charme ao mistério, da gentileza à doçura. Há milhões de maneiras de atrair as pessoas e certamente você deve ter muitos atributos que simplesmente esconde. Quando parar de se auto-amaldiçoar com essa crença de que é sem atrativos, sem graça e que vai ficar sozinha as coisas mudarão. Comece a trabalhar essas crenças limitantes e deixe-as para trás. Se você precisar, faça um ritual em que simboliza todas essas crenças que não servem para seu bem estar e destrua-as… escreva em um pedaço de papel, queime  e espalhe as cinzas ao vento, deixando que isso fique no passado. Molde seu presente e seu futuro será bem diferente.

“Reconheço que sou um pouco tímida a ponto de ter um grande complexo de inferioridade, mas até melhorei tanto nas roupas quanto na forma de me expressar, pois tenho a impressão de que os homens tenham medo ou descaso de mim pelo fato de eu ser sincera ou sei lá independente, ou por me acharem ”santa”, ”honesta” demais, mas é o meu jeito e sinto que devo mudar, e preciso de um conselho, palavra amiga, pois queria um ano de 2012 diferente, sem decepções e tristezas, poder me sentir bem em acordar e sorrir para a vida, lembrar que eu preciso estar bem para que um novo dia possa surgir sem pendencias desnecessarias, pois se podemos viver tão bem porque nos sufocamos?”

Nos sufocamos, querida, porque a realidade dos seres humanos é que temos um medo imenso de ser livres e felizes. As pessoas têm tanto medo das dores emocionais que não querem nunca correr riscos, e ser feliz no amor sem correr riscos é completamente impossível. Amar é arriscar, é talvez sim ter decepções e tristezas mas saber que nem tudo é assim. Há pessoas maravilhosas no mundo e você precisa fazer com que elas  a encontrem . Comece permitindo que seu brilho apareça. Isso nada tem a ver com ser fácil ou disponível demais sexualmente, não tem a ver com ser assim ou assado. Tema ver com você realmente abrir sua energia para que as pessoas possam chegar perto de você. Isso tem a ver com se deixar tocar, ma não apenas fisicamente, e sim emocionalmente.

Já ouvi coisas do tipo: ”deveria estar no convento… saia desse seu mundinho, dessa bola de cristal, que não existe principe encantado….você deve viver mais o momento sem pensar nas consequencias ou no que os outros vão pensar de você… Engraçado é que sou eu quem aconselha as amigas nos momentos dificeis, passo força e segurança quando no fundo eu sou quem mais precisa de ajuda. Estou me desgastando com tudo isso, penso em ter uma familia, conquistar minhas coisas e o amor/homem faz parte das nossas necessidades, assim como maslow em sua teoria das necessidades está bem na base… e sem esse patamar a estrutura não suporta. “

Olha, esse comentário sobre o covento, acho que tem a ver com sua sexualidade, não é? Bom, ninguém tem que dar palpite nisso, você só vai partilhar seu corpo com alguém quando achar que deve, que tem algo especial e simplesmente “não ser santa” só para não ficar sozinha não é nem um pouco sábio, é só outro tipo de bobagem que faz as pessoas se machucarem. Não veja essa sua capacidade de aconselhar as pessoas como algo sem importância, isso é um dos seus dons, as pessoas se atraem muitíssimo por isso, deixe isso fluir e valorize tudo o que você tem de bom.

Sobre ter uma família, calma. Você é muitíssimo jovem ainda e isso tudo vai ocorrer naturalmente. Não foque sua energia e sua atenção em querer um marido, na relação idealizada homem/mulher. Foque sua energia em fazer sua energia emitir um chamado para as pessoas adequadas. Sabe quando as fêmeas dão sinais de que estão no cio? Elas emitem odores, sons, se movimentam para chamar um companheiro adequado. A espécie humana não tem cio, mas essas coisas continuam ocorrendo. Se você se concentrar em que tudo em você- do modo de vestir, dançar, falar etc – seja feito para chamar a atenção só das pessoas melhores para você, logo se supreenderá porque surgirão mil pretendentes.

Depois me conte os resultados, se você resolver seguir este conselho.

Grande abraço e as melhores bênçãos das Senhoras do Amor!

Mavesper Cy Ceridwen

Coisas de casal...Hoje o D. , nos escreveu dizendo: “Como será esse ano com meu relacionamento? Acabo de me casar com um cara que faz de tudo pra mim e é muito bom comigo, mas de uns tempos pra cá eu só o venho tratando mal e quero reverter isso e fazer com que aquele sentimento que tinhamos volte a reinar entre nós, já que acredito ser culpa minha as nossas brigas.”

Caro D.: se você acredita que é o único motivo para a situação e quer mudá-la, creio que não terá problemas. Mas o foco da questão não deve ser bem esse. Acho que você precisa se perguntar POR QUE vem agindo assim. Por que você trata seu companheiro mal, o que ganha com isso? E ele, o que ganha psicologicamente em tratar bem uma pessoa que o maltrata?

Há muitas pessoas que confundem amor com poder. Poder sobre a outra pessoa, posse sobre o corpo e a vida da outra pessoa, quem manda em quem. Pessoas que foram criadas em famílias onde o pai ou mãe era muito dominador, às vezes violento, e só se achava bem na relação quando agredia o outro ou exercia a tirania sobre todos. Ele, por outro lado, pode ter sido o filho em uma família dessas, e receber dos pais atenção negativa com brigas, castigos etc, era melhor do que ser ignorado, por isso hoje ele escolhe um companheiro que o maltrate, reproduzindo a relação que ele tinha com os pais.

Aprenda o seguinte: ninguém está junto por acaso. As pessoas formam casais porque as necessidades de um se completam com as necessidades do outro. Normalmente pensamos nisso de maneiras positivas: eu preciso de amor, carinho, sexo, companheirismo, amizade, cumplicidade etc e o outro me traz isso, por isso vivemos juntos. Mas não não somos só feitos dessas partes luminosas, temos muito de escuridão em nós, então muitas vezes escolhemos os nossos companheiros porque queremos ser humilhados, maltratados, queremos provar a nós mesmos que não somos merecedores de nada de bom…

Será que você teve esse modelo de família em que amor e poder se confundiam? Se teve, só conseguirá se libertar dessa confusão de amor com agressão se romper essa ligação na sua mente e no seu coração. Como se faz isso? Inicialmente, procurando terapia psiológica. Nada substitui o psicólogo num caso assim. Se você for um bruxo, pode também ter uma abordagem ritualística com o tema, buscando sua cura e a cura do seu relacionamento.

Em todo o caso, você tomou um começo da coisa, deu um “start”: reconheceu que o casal tem um problema e a responsabilidade é primariamente sua. Reconhecer isso é o primeiro passo necessário para a mudança.

Como será seu 2012 com seu companheiro? Só você mesmo e ele poderão responder. Amor é uma conquista de cada dia, cada segundo.

Abençoado seja!

Mavesper Cy Ceridwen

 

Quando vocês quiserem ver respostas para perguntas enviadas busquem a sessão "Respostas de Bruxa". 🙂

Olha o trauma!

A S. me escreveu dizendo: “Bem, estou sozinha desde que me separei há 12 anos. Tive alguns rolos, mas nada vai pra frente, começa sempre com muito entusiasmo da parte de ambos e depois, puff some-se o entusiasmo e  a pessoa. O último se dizia apaixonado por mim e duas semanas depois apareceu com uma mulher muito mais velha que ele e nem satisfação deu. Estou traumatizada achando que vou realmente acabar minha vida só. O que faço??? beijos e obrigada..”

Esta situação tem tudo a ver com o que mencionei no post de ano novo.

Querida S., você também é uma bruxa, então sabe que somos nós quem moldamos nossas vidas. Tudo que está nelas, de bom e de ruim, é nossa responsabilidade. Então cabe a você se questionar sobre como se colocou nessa sitação e por que. Como você narra que isso aconteceu após uma separação, é possível que ainda tenha a ver com ela. Você se separou porque  quis? Você ainda está emocionalmente ligada ao casamento?

De uma maneira inconsciente, pode ser que você ainda alimente sem nem perceber a idéia de que era o casamento que devia continuar. E daí você passa a vibrar esse energia: mesmo querendo de forma consciente encontrar alguém, toda sua energia comunica aos parceiros em potencial que você não está disponível. E essa energia é comunicada de mil forma diferentes: posturas corporais, gestos, assuntos que você escolhe nos primeiros encontros, o modo como você se veste etc.

Claro que é possível que o motivo não seja exatamente você ainda estar ligada ao casamento. Mas mesmo que seja outra, a verdade continua a mesma: você está sozinha porque ganha alguma coisa com essa solidão. Seja não se arriscar a sofrer uma decepção de novo, seja gostar de curtir a auto-piedade…nem sempre é muito legal nos olharmos no espelho e sabermos que se não deu certo, a gente tem algo a ver com isso.

Mas é muito melhor assumir nossa responsabilidade e a partir daí mudar conscientemente do que negar e continuar curtindo a fossa.

Sobre o trauma, nem esquente a cabeça especificamente com esse fulano. Quem diz que está apaixonado e muda de pessoa como quem troca de camiseta não pode ser levado a sério…Esquece e parte pros próximos, acreditando na abundância do amor. Há muita gente no mundo que merece uma pessoa legal como você, basta deixar que eles apareçam.

Muitas bênçãos de Afrodite para você,  S. Tenho certeza de que quando  menos perceber já estará aberta a encontrar as muitas pessoas decentes que há no mundo. 🙂

COMEÇANDO 2012

Festas de fim de ano são coisas que muitas pessoas curtem, mas uma imensa quantidade de pessoas fica muito deprimida nessa época. Algumas porque lembram de tempos melhores, das pessoas que saíram de suas vidas, das antigas festas de família que ficaram no passado quando a gente nem as valorizava muito, mas que eram preciosas e não voltarão mais. Outras pessoas ficam deprimidas porque estão sozinhas, e essas celebrações valorizam muito a família estrita, pais e filhos. É um tempo de pessoas solitárias sofrerem mais ainda com a solidão.

Mas as festas acabam e a rotina do dia a dia volta e se impõe, disfarçando essas tristezas.

Mas permanece a pergunta básica: porque estamos sós? Por que não encontramos aqueles amores tão desejados, tão sonhados? Ou, quando nos tornamos mais desiludidos, e muito menos exigentes, por que pelo menos não encontramos uma pessoa legal e decente que pode nem ser o príncipe/princesa encantados, mas que podia ser um companheiro ou companheira?

E a resposta sempre passa pela mesma reflexão; estamos sozinhos porque queremos, de algum jeito estar.

Seja por medo, seja porque preferimos não nos arriscar, seja porque sempre colocamos a felicidade onde nós não estamos, deixando-a no campo da imaginação, seja porque simplesmente não sabemos o que queremos é que ficamos sozinhos.

O mundo é farto, Afrodite, Deusa grega do amor, é uma Senhora da Abundância.

O que você tem feito que está afastando essa abundância da sua vida?

Pense e troquemos idéias.

E enquanto isso, que a Senhora das Rosas encha seu 2012 com amores verdadeiros, correspondidos, nutridores  e duradouros. 🙂

Abençoados Sejam!

Mavesper Cy Ceridwen


Hoje K. escreveu novamente, partilhando mais um pouco de seu problema. Ela afirma que dá espaço para seu parceiro, e mesmo assim acaba só.

Ela disse: “Ele morava em SP e eu no RJ, era mais telefone, ligava sempre depois da meia noite e ele ficava comigo até eu dormir. Sábado ligava quando acordava, a tarde e a noite. Sempre diziamos que iamos casar, morar juntos e ele queria filho. Isso durou 6 meses.
Ele tinha muitos ciumes muitos, mas não queria abrir mão dos meus amigos, da minha vida…. ja sofri antes e fiquei sem ninguem, não quero isso de novo.”

Querida K. vc relata um problema que se tornou muitíssimo frequente desde que a internet começou a aproximar as pessoas de uma maneira que antes não existia nas relações sociais. Vc teve durante seis meses o que se pode chamar um namoro virtual. Chegou a conhecer a pessoa, se relacionar em viagens breves e só.

Muita gente como vc tem vivido através da rede o que quer viver, ou o que idealiza que quer viver, na vida concreta.
Como vc , eu também já vivi longos namoros virtuais, sofri por eles, me comportei como se estivesse mesmo comprometida, deixei de viver muitas coisas do dia a dia para ficar horas teclando ou falando ao telefone com um amor distante.
Mas, sejamos agora brutalmente verdadeiras com a gente mesmo?

Isso nunca foi um relacionamento de verdade. Fizemos isso porque não queriamos estar sozinhas, mas continuamos, na prática completamente sozinhas. Só que agora tinhamos uma ilusão virtual a ser usada como anestesia para a dor da solidão.

Veja bem: eu não sou uma pessoa cética, daquelas que não acredita que seja possível conhecer alguém pela rede e depois ver essa relação que começa virtualmente se tornar muito importante, significativa e saudável. Conheço diversos casos de pessoas que se conheceram na rede e se conheceram, mudaram de cidade, mudaram a vida e construiram lindos e felizes relacionamentos em concreto.

Mas, a verdade estatística é que isso é uma minoria.

O que precismoas analisar aqui é: o que leva pessoas a ficarem 6 meses se namorando por fone, tendo ciúmes, gastando muita grana em telefonemas interurbanos? E a questão mais importante de toda no caso: por que essas pessoas não acham ninguém legal na mesma cidade em que moram?

A resposta, mais uma vez, lembra que a responsabilidade é nossa, só nossa. Quem busca esse tipo de relação e se satisfaz com ela, na verdade está simplesmente achando um fuga do ter um relacionamento real, concreto, presencial. Estar ao lado de alguém, dividindo o dia a dia assusta, afasta. A relação virtual é perfeita; se alguém se encher finge que a net caiu… quando estiver de novo carente, liga, manda presentinhos virtuais etc.

O duro mesmo de uma relacionamento é viver a vida com o outro. Ajuda-lo a assoar o nariz, a pagar as contas, dividir preocupações, apoiar nos problemas. Nada desses ônus existe nas relações virtuais. Elas são faceis, muito fáceis. Elas não nos submetem á possibilidade da decepção que o conhecer alguém pode trazer, elas conseguem conservar muito mais tempo nossas ilusões…Especialmente porque a maioria das pessoas que vive essas relações cria um personagem, uma persona. Quando é muito difícil ser ele mesmo, ele inventa um cara muito mais legal, muito mais romantico, muito mais amoroso, rico, em forma, bonito…

Não duvido nada que daqui a alguns anos surja uma nova especialidade na psicologia: o estudo dos avatares e personagens virtuais de cada um.

K. enquanto vc aceitar viver só esse tipo de relação, que não é uma relação de verdade, vc estará se privando de conhecer um cara de carne e osso, com problemas sim, mas também com muita coisa ótima pra viver com vc.

Meu conselho para vc é o seguinte: procure relações de verdade, com gente de carne e osso. Sei que para dar esse passo vc precisa rever muitos dos seus condicionamentos. Mas vamos lá, mãos à obra, porque sem esse seu trabalho interno, não há como encontrar ninguém.

Vc só ficará sozinha o tempo em que desejar ficar. E se abrirá para alguém quando estiver pronta para viver um relacionamento real, com todos os riscos emocionais que ele contém.

Mas não desanime: como vc a imensa maioria das pessoas não é feliz no amor. Nem as pessoas que vc vê com muitos parceiros, muitos namoros. O difícil nesse campo é sempre casar desejo com satisfação.
Mas isso é conversa para outro dia.

Bênçãos de Afrodite sempre! 🙂